Carregando…
Logo da PIB
SAIBA MAIS

O Plano de Investimentos do Brasil (PIB) é uma iniciativa do governo federal para o Programa de Investimento Florestal (FIP), destinada a apoiar a implementação de planos e programas nacionais que possuem como foco a redução do desmatamento e a diminuição da pressão pelo desflorestamento no Cerrado, segundo maior bioma do País.

O FIP é financiado pelo Fundo Estratégico do Clima (SFC), um dos dois fundos no âmbito dos Fundos de Investimentos para o Clima (CIF) – mecanismo fiduciário composto por 14 países contribuintes, estabelecido em 2009 e implementado, no Brasil, por meio do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O FIP apoia os países em desenvolvimento para redução do desmatamento e da degradação florestal e na promoção do manejo sustentável das florestas, que leva a reduções de emissões e ao aprimoramento dos estoques de carbono florestal.

Figura 01 – Estrutura do CIF, o FIP e o PIB

No Brasil, o FIP apoiará ações no Cerrado, bioma que cobre aproximadamente 200 milhões de hectares do Planalto Central do Brasil (24% do território nacional), e abriga as nascentes de três grandes bacias hidrográficas da região: Tocantins–Araguaia, Paraná-Prata e São Francisco.

Além disso, cerca de 22 milhões de hectares do Cerrado são dedicados à agricultura, com grandes áreas de lavoura mecanizada e uso generalizado de insumos químicos para corrigir a acidez do solo e aumentar a fertilidade. Estima-se que este bioma tenha 50 milhões de cabeças de gado (quase 33% do rebanho nacional) distribuídas ao longo de 54 milhões de hectares de pastagens.

Trata-se, como se observa, de bioma estratégico para o desenvolvimento econômico, a segurança alimentar e o meio ambiente do país.

O Plano de Investimento do Brasil (PIB) recebeu o aval do Subcomitê do FIP em 18 de maio de 2012 e representa um instrumento importante para o alcance das metas brasileiras do compromisso nacionalmente determinado (NDC) ao Acordo de Paris para o Bioma Cerrado. O PIB busca promover o uso sustentável do solo e melhorar o manejo florestal no bioma Cerrado, além de contribuir para reduzir a pressão nos remanescentes florestais, reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e aumentar o sequestro de dióxido de carbono (CO2).

O PIB compreende ações coordenadas entre três ministérios: Meio Ambiente (MMA); Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC); e Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Está dividido em duas áreas temáticas com cinco projetos inter-relacionados, conforme ilustrado a seguir.

 

Figura 02 – Estrutura do Plano de Investimento do Brasil para o FIP

Os projetos do Tema 1: Gestão e Manejo de Áreas Antropizadas, são voltados para a promoção do uso sustentável em propriedades particulares, dado que um melhor uso da terra contribuirá para reduzir as emissões e aumentar o sequestro de carbono, diminuindo a pressão do desmatamento nas florestas remanescentes. Os projetos do Tema 2: Geração e Gestão de Informações Florestais, objetivam gerar e disponibilizar informações ambientais sobre o bioma espacial e temporalmente adequadas. Destacam-se ainda como contribuições do PIB o Mecanismo de Doação Dedicado para Povos Indígenas e Comunidades Locais (DGM) e uma janela do setor privado projetada especificamente para a promoção de investimentos do setor privado no Brasil.

Assim, o PIB é composto por seis projetos coordenados por órgãos governamentais, um projeto destinado a povos indígenas e comunidades tradicionais e um projeto voltado para a iniciativa privada, todos atuando exclusivamente no bioma Cerrado. São eles:

  • Projeto FIP Coordenação: coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e executado pela Fundação Pró-Natureza (FUNATURA), tem por objetivo fortalecer a capacidade da República Federativa do Brasil de coordenar os projetos do Plano de Investimento do Brasil (PIB) e de supervisionar, planejar, monitorar, avaliar e prestar contas sobre a implementação do PIB, bem como promover a sinergia na implementação destes projetos.
  • Projeto FIP FM: coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), executado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP), tem por objetivo aumentar a capacidade institucional do País de monitorar o desmatamento, fornecer informações sobre riscos de incêndios florestais e estimar as emissões de GEE associadas aos incêndios florestais no Cerrado.
  • Projeto FIP IFN: coordenado e executado pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), tem por objetivo implantar o Inventário Florestal Nacional no bioma Cerrado e consolidar o Sistema Nacional de Informações Florestais como instrumentos de política capazes de produzir informações oportunas e de qualidade para tomadores de decisão dos setores público e privado sobre os recursos florestais e seu aproveitamento, contribuindo para a promoção de programas sustentáveis voltados à mitigação de emissões de GEE no Cerrado.
  • Projeto FIP CAR: coordenado e executado pelo SFB, tem por objetivo aumentar a capacidade do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e de nove órgãos estaduais de meio ambiente (OEMAs) para receber, analisar e aprovar inscrições no Cadastro Ambiental Rural, integrando-as ao Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SICAR); e auxiliar, em municípios selecionados, na inscrição dos imóveis no Cadastro Ambiental Rural (CAR).
  • Projeto FIP ABC: coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e executado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), tem por objetivo promover a adoção de tecnologias agrícolas selecionadas de baixa emissão de carbono sustentável por produtores de médio porte na região do Cerrado.
  • Projeto FIP Paisagem: coordenado pelo SFB e MAPA e executado pelo SENAR e a agência alemã de cooperação (GIZ), tem por objetivo promover a adoção de práticas de conservação e restauração ambiental e práticas agrícolas de baixa emissão de carbono em bacias hidrográficas selecionadas do Bioma Cerrado do Brasil.
  • Projeto FIP DGM: executado pela ONG Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA/NM), tem por objetivo fortalecer a participação dos povos indígenas, comunidades quilombolas e comunidades tradicionais do Bioma Cerrado, no FIP, REDD+ e outros programas similares orientados para o Clima nas esferas locais, nacionais e global; e contribuir para aprimorar o modo de vida e o manejo sustentável da floresta e da terra em seus territórios.
  • Projeto FIP Macaúba: executado pela empresa INOCAS – Soluções em Meio Ambiente S.A., tem por objetivo criar a primeira cadeia de valor sustentável de Macaúba no mundo e garantir altos impactos sociais, ambientais e econômicos.

Uma estreita coordenação e colaboração com todos projetos é considerada fundamental para o sucesso da implementação do Plano de Investimento do Brasil. Sem uma coordenação coerente e unificada, os resultados do PIB contarão apenas com partes isoladas de projetos sem conseguir uma boa integração. O Projeto FIP Coordenação fornecerá uma plataforma para o compartilhamento de conhecimentos e promoverá ações coordenadas entre projetos PIB, o Mecanismo de Doação Dedicado FIP Brasil (DGM) e projetos do setor privado do FIP, bem como entre outros programas e projetos do Governo brasileiro.

Confira o vídeo sobre os projetos FIP no Brasil:

 

SAIBA MAIS DO PIB OCULTAR

PROJETOS

NOTÍCIAS

15/10

Agenda: Oficina de Monitoramento apresenta resultados e sinergias


O Programa de Investimento Florestal (FIP) realiza, nos dias 27, 28 e 29 de outubro, Oficina de Monitoramento on-line para balanço e avaliação do andamento dos projetos.


+ Leia mais…

09/10

Cerrado DPAT: nova plataforma contextualiza e valida dados de desmatamento do Cerrado


Atualizado em 15/10/2020 – Uma nova plataforma de qualificação dos dados de desmatamento detectados pelos programas Prodes e Deter-Cerrado foi lançada no dia 14 de outubro: a plataforma Cerrado DPAT (sigla em inglês para Deforestation Plygon Assessment Tool). A plataforma é fruto de iniciativa do projeto FIP Monitoramento Cerrado, executado pelo Ministério de Ciências, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Confira aqui a plataforma.


+ Leia mais…

21/09

Ipê e pequizeiro estão na lista de árvores simbólicas do Inventário Florestal Nacional

Pequizeiro na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascente Geraizeira em Rio Pardo de Minas. Foto: Acervo DGM/CAA – Leo Lopes

Espécies emblemáticas do Cerrado, o ipê e o pequizeiro constam na lista divulgada pelo Inventário Florestal Nacional (IFN) neste 21 de setembro, data em que se comemora o Dia da Árvore. A divulgação de dados coletados em campo pelo IFN inclui números de árvores encontradas em campo, medidas, formas de utilização e locais de ocorrência. Confira aqui.


+ Leia mais…

INSTITUIÇÕES PARCEIRAS

Financiadores:
Logo da CIF
Implementadores:
Logo do BID Logo do The World Bank
Parceiros:
Logo do FAO Logo da Embrapa Logo da UFG Logo da UFMG Logo da UNB Logo do INPE Logo do Jardim Botanico Logo da FUNAI
Executores:
Logo do GIZ Logo da FUNATURA Logo do INOCAS Logo do CAA Logo do FUNDEP Logo do SENAR Logo do SFB
Logo do Ministério da Economia Logo do Ministério da Agricultura Logo do Ministério da Ciência e Tecnologia Logo do Ministperio do Meio Ambiente Logo do Governo Federal